Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas de Mora

"Ler é sonhar pela mão de outrem." Fernando Pessoa

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas de Mora

"Ler é sonhar pela mão de outrem." Fernando Pessoa

Ser Escritor É Cool

PB Mora, 25.02.21

(No âmbito do concurso Ser Escritor é Cool fica aqui o texto da aluna Laura Galvão do 12.º ano. 2.º Desafio - Não tenho nada para fazer! E agora?)

"Antes de ler: Este texto e toda a minha ideia foi mais direcionada às crianças porque, como todos nós sabemos, os adultos têm sempre alguma coisa para fazer.

“Não tenho nada para fazer! E agora?”, perguntas tu. Honestamente, não sei, é raro eu não ter nada para fazer. Até te diria para fazeres os trabalhos da escola, mas ambos sabemos que isso não vai acontecer, certo? Eu sei que a tua resposta é sim, eu faço o mesmo, estou afogada em trabalhos e continuo a deixá-los para a última da hora, chama-se a isso“procrastinação” que, se algum fã de “O Incrível Mundo de Gumball” estiver a ler isto, deve de conhecer bem o termo.

Certamente não estás aqui para expandir o teu vocabulário, mas sim para arranjares ideias do que fazer, se eu tivesse esse privilégio (porque sim, é um privilégio, quando chegares ao secundário vais ver do que falo) eu aproveitaria esse “nada”, mas o que é o “nada”? O “nada” é a falta de algo, então tens falta de quê? De brinquedos/jogos ou de ideias? Duvido que tenhas falta de brinquedos/jogos, acho mesmo que o teu problema é saber o que fazer com eles. Às vezes temos tanta coisa que nem sabemos bem o que fazer primeiro e daí vem o nosso “nada”. Bem, agora que, supostamente, descobrimos a raiz do problema, arranjemos soluções:

Número 1: Vai neste momento ao teu quarto e procura os brinquedos mais velhos que tens e que já não usas, tenta descobrir o que te fez adorá-los quando os compraste ou tenta inová-los, ou seja, mudar a personagem deles, mudar a sua história.

Número 2: Se fores o tipo de pessoa que prefere videojogos, podes pegar nos mais antigos, que muito provavelmente já nem te lembras bem deles e voltar a jogá-los e desta vez, se calhar, vais ver coisas novas no jogo que não tinhas visto antes, isso acontece muito em jogos com história como “The last of us” (pessoalmente, um dos meus preferidos).

Uma pequena dica, tenta não comprar alguma coisa só porque te sentes aborrecido, acabas sempre por comprar algo por impulso que só irás utilizar uma vez ou duas e nunca mais lhe pegas.

Se não quiseres fazer alguma destas coisas, tenta sair e brincar na rua, eu sei, é de loucos, mas se experimentares vais divertir-te imenso, podes jogar à bola com os teus amigos, saltar à corda, jogar ao berlinde, se calhar pegar num beyblade e fazer uma competição com eles ou dar asas à vossa imaginação e inventarem vocês próprios um jogo.

Agora, se chegaste a este ponto, se continuas a ler isto é porque estás à espera de uma ideia melhor, mas lamento informar que as próximas podem ser um pouco “chatas” para alguns de vocês.

Experimenta escrever uma história, criar um reino imaginário, inventar um planeta, criar viagens no tempo. Se escrever não for muito do teu género, desenha ou pinta, cria uma história com cores e imagens. Se continuares aborrecido, lê, ler não é chato, o meu professor de português no sexto dizia: “Ler não é chato quando encontramos o livro certo” e é verdade, ler pode levar-te onde quiseres e abre-te as portas a um mundo completamente diferente e podes levar o tempo que precisares a ler um livro, isto não é uma corrida, não te sintas na obrigação de o ler o mais rápido possível, aproveita cada palavra, cada página, saboreia a aventura que te espera.

Se fizeres isto e continuares aborrecido, ou se não fizeste nada, relaxa, se não tens nada para fazer, aproveita esse nada, não dura para sempre."

Laura Galvão

1 comentário

Comentar post